segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Análise semanal - Yakusoku no Neverland #56


Enfim começamos a ver um plano se formar com as novas pistas jogadas.
Fala galera! Depois de um final de semana corrido, eis que estou chegando com a análise de Yakusoku no Neverland dessa semana; nesse caso ela chega no dia “costumeiro” devido ao capítulo ter saído no período certo.
Porém, antes de adentrarmos no capítulo, vamos comentar rapidamente que o volume atual da série está com um número de cópias vendidas bem altas para um novato sem animê. No ranking da Oricon que saiu no final da semana passada, Yakusoku estava em 16º lugar com um total de, aproximadamente, 219 mil cópias vendidas. Além disso, vale mencionar que a série será publicada nos EUA pela Viz.
Após isso, vamos a análise porque talvez tenhamos bastante coisa para comentar.

Capítulo #56 – Negociação 1

Depois de toda calmaria e clima familiar que tivemos no capítulo passado, voltamos ao ponto de colocar os mistérios e planos em dia. E, logo de cara, já temos um plano que, de certo modo, tem tudo para gerar momentos de tensão; podendo até nos levar para aqueles momentos de incerteza que tínhamos no começo.
Mas, vamos com calma e sem colocar a carroça na frente dos bois. Porque esse capítulo foi conduzido em um ritmo que nos entrega, desde o começo, para onde tudo desemborcará. Aqui temos explicações relevantes sobre alguns porquês, pois onde eles estão atualmente é um bom lugar, tem de tudo, mas será que era a ideia final do Willian Minerva?
A resposta, dada no próprio capítulo, é não! Para isso ele deixa mostrado que há mais para avançar. Há um além para fora da zona de conforto, porém tudo depende da disposição das crianças para avançarem.
Além disso, ainda ficamos com a questão do Phill e das outras crianças, pois elas foram deixadas para trás com a promessa dos mais velhos voltarem para busca-los. Isso é um ponto que foi bem abordado nesse capítulo, assim como também foi abordado toda questão dos livros que eles possuem dentro do bunker serem tão antigos quanto os da Grace Field.
Ainda dentro da questão dos livros, neles também descobrimos um risco a mais sobre toda questão das plantações e quais, realmente, marcam seu gato com algo único. Isso nos ajuda a traçar um paralelo de quantas são as de qualidade e as que não são, dando um panorama mais geral sobre quais gados criam materiais de qualidade e quais só produzem em massa – e isso já abre um precedente para sabermos quantos não são aqueles que as crias nascem e morrem sem sequer saber que existiu.
No final do capítulo tivemos um momento de mini tensão porque o rapaz – antigo morador do bunker – apareceu diante deles com intenções nada amistosas. Nesse ponto é que entramos no detalhe da proposta, pois terminamos esse ponto com a Emma indo oferecer a ideia que eles tiveram.

Diante disso agora temos o cenário em que ele tentara utilizar da violência para se fazer valer ou ele pode ouvir e ajudar, até por ser vantajoso para ambos os lados. Mas isso não muda o fator que, enfim, estamos transitando para o próximo estágio e o que vem a seguir será ainda mais interessante e curioso. 
Postar um comentário

Follow by Email