quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Review - Sankarea (vol. #1 e #2)


Off tópic: Esse post é, originalmente, de 2014 (mais ou menos), pois foi na época que eu li os volumes iniciais da série. 
Podemos dizer que zumbi é um gênero que vende independente de como seja executado, ou seja mais cultura pop que zumbis, impossível. Graças a essa onda de Zumbis everywhere, cada dia surge um novo mangá, HQ, filme ou whataver envolvendo os seres que gostam de cérebro humano. E, como não podia deixar de ser, tínhamos que ter um mangá totalmente non sense envolvendo esses seres tão "bizarros". Sim meus queridos, hoje falaremos de Sankarea. Acomodem-se e não tenham medo do que está por vir, pois ninguém foi mordido durante essa resenha.
Criado por Mitsuru Hattori, Sankarea começou a ser publicado em dezembro de 2009 na Bessatsu Shonen Magazine e terminou em setembro desse ano contanto com 11 volumes, 10 já lançados e o 11ª saí em novembro. No Brasil a obra é publicada pela Panini, com seu 4º volume previsto para esse mês. (Em tempo: a série já se encerrou por aqui)
Além do mangá, a série tem uma versão em animê que conta com 13 episódios, produzidos pelo Studio Deen e foi exibido de 05 de abril à 28 de junho de 2012. A boa recepção do animê ainda rendeu 3 Ovas, que foram lançados em 8 de junho, 9 e 30 de novembro do mesmo ano, respectivamente.

Sinopse (via Mangahost):

Furuya Chihiro é um viciado em tudo o que é relacionado com zumbis, de filmes à brindes. Um dia, seu gato é atropelado e ele decide "testar" um antigo manuscrito que ele tinha, sobre a "arte da ressureição" em seu gato morto. Mas, durante seus experimentos, ele se depara com Sanka Rea, uma bela garota de uma distinta família local, em meio à um terrível desabafo. O que acontece depois? Bom, uma coisa nessa história é certa, a morte não é para sempre...

Considerações Iniciais (beba a poção venenosa de hortênsias):

Falar de Sankarea sem falar do fenômeno que são os zumbis seria uma maldade sem tamanho, pois boa parte das confusões da série se provem disso; pois bem, todos sabemos que zumbis são criaturas que fazem relativo sucesso desde sempre e que isso se intensificou com o sucesso do seriado The Walking Dead (que é derivado de um HQ, mas isso é assunto para outro momento). A boa aceitação da série se deve, parte por ser focado em um expoente da cultura pop e parte por ser uma boa comédia romântica, que cumpre aquilo que se propõe.
Um ponto que vale menção e destaque são os nossos protagonistas, pois, querendo ou não, eles esbanjam charme e nos divertem a todo momento. Sério, é quase impossível não rir com os surtos do Furuya quando o assunto são os amados zumbis dele, ou até se apegar a Rea e toda sua delicadeza, isso sem contar o pequeno Babu, gatinho zumbi que ganha o papel de pet da série. Os secundários também não perdem em nada no quesito carisma, pois podemos dizer que em muitos momentos eles roubam a cena, literalmente.
O ponto a se comentar é que a série ela é uma comédia romântica com pontos sobrenaturais e desde o começo te vende isso de um modo justo e, na medida do possível, bem feito. Não chega a ser perfeito e em muitos momentos o traço do autor é algo meio inconstante (momentos de gag comedy ou que os personagens fazer suas caretas), mas ainda sim chega a estar nos padrões aceitáveis.

Versão Brasileira (Alguém reviva meu gatinho):

Mangás e segue com o padrão de sempre, ou seja, papel pisa brite de 48g, contracapa colorida e tamanho padrão. A tradução está supercompetente e fluída, dando gosto a leitura e, como de costume, temos nosso querido glossário para nos auxiliar com algumas expressões que foram mantidas.

Considerações finais (Sou um?)):


Bem, creio que depois de tudo posso dizer que Sankarea é um mangá bacana, nada mais que isso. Está longe de ser uma unanimidade, mas está longe de ser horrível, pois tem personagens legais, um roteiro que se sustenta, situações que te prendem e personagens cativantes, mas, ainda sim, parece faltar algo. Óbvio que talvez seja apenas uma ideia de um "crítico" ranzinza, mas mangás de comédia romântica precisam se reinventar sempre e Sankarea peca justamente nisso. Em todo caso, ainda é uma boa opção para quem quer se distrair com uma história única e muito fofa.
Postar um comentário

Follow by Email