quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Primeiras Impressões - Black Clover

Aquela grata surpresa que veio de modo interessante – e chutando bundas

Seguindo o bonde rumo ao trem do hype, eis eu aqui – de volta -, para seguir com os comentários sobre os animês que irei acompanhar dessa temporada. Vamos adiantar, inicialmente, que tudo que assisti até aqui foi positivamente surpreendente, logo sigo torcendo para continuar assim!
Por falar em surpresas, nada mais justo que falar de uma, das boas, hoje. Minhas primeiras impressões de hoje será foca em Black Clover. Mangá da autoria de Yuuki Tabata (autor de Hungry Joker, que já comentei aqui no blog), que é publicado na Shounen Jump desde fevereiro de 2015. Além disso, convém menção que estou devendo um post mais completo sobre Black Clover, mas por hora, vamos falar do começo do animê! Let’s Go!

Sinopse:

Em um mundo em que a magia reina, alguém com um poder tão limitado não é absolutamente nada! Este é Asta, um jovem que sonha em se tornar o "Mago Imperador", o maior de todos os magos. Com esforço e trabalho duro, será Asta capaz de alcançar seu sonho e corresponder às expectativas de seu amigo de infância, Yuno?

Considerações gerais:

Quero começar esse texto dizendo que, sim, minhas expectativas para esse animê estavam muito abaixo do que se espera, em especial por saber que o estúdio responsável era o Pierrot. Caso você não saiba, o estúdio em questão é o mesmo de Naruto, Bleach, Yu Yu Hakushô e Sousei no Onmyouji e, de certa forma, é um estúdio que curte trabalhar em séries longa e por várias vezes ocorrem fillers; logo as vezes surgem coisas bem diferente do material de origem (Sousei) e com uma arte bem nhé.
E esse era meu principal motivo de receio, em especial porque não foi um mangá que consegui ler até hoje, porque sempre acabo esquecendo, mas todos meus receios foram infundados após esse primeiro episódio. E... que episódio gostoso de se assistir!
A começar pelo próprio protagonista! O Asta é o personagem que rouba a cena, mais precisamente o dublador dele. Sério, sei que teve MUITA GENTE que não curtiu a dublagem dele, mas eu, particularmente, achei MUITO MAIS ENGRAÇADA que aquela dublagem do ova; aquele Asta do ova – assim como tudo ali – não me despertou interesse e nem cativou, já aqui... ah, aqui o negócio mudou totalmente. Até porque, na moral, alguém dá um calmante para esse seiyuu o cara consegue gritar esganiçado como ninguém e faz isso de modo tão divertido que, em vários momentos, eu ria porque não dava para segurar o riso. Casou bem com o jeito impulsivo do personagem e deu VIDA para narrativa. Fora isso, podemos dizer que a falta de CGi (o que teve EM EXCESSO NO OVA DA XEBEC) foi algo prazeroso e divertido, deu uma valorizada a mais no conteúdo.
Falando em conteúdo, podemos dizer que – pelo que puxo da memória – esse episódio não adaptou todo primeiro capítulo; não que isso seja ruim, pois prova que a equipe de roteiro está sabendo trabalhar bem essa questão, mas temos que aguardar para vermos se o desenvolvimento será bem trabalhado, porém aqui tivemos um início bem executado e trabalhado.
Já no caso arte/Soundtrack; podemos dizer que temos uma arte bonita que não fica oscilando em momentos variados e que, sim, muito se aproveita, ou seja temos um saldo geral bem positivo para tudo que envolve a animação; até as cores cooperam para o bom andamento. A parte de som, por sua vez, ficou bem competente. Nada além disso, não são trilhas que ficaram em minha mente, mas ajudaram bem em diversos momentos e foram bem dosadas, com bons momentos.
Fora tudo isso, é válido mencionar que todos os dubladores ficaram legais nos seus personagens, mas eu ainda sou mais o dublador do Asta, porque esse rapaz é um novato, ou seja ainda vai evoluir muito, contudo possuí uma garganta de ouro e precisa ser valorizado, afinal não são todos que conseguem gritar TANTO e ainda manterem o ritmo para os episódios seguintes.

Vale a Pena?

Sinceramente? Sim. É um animê rápido, divertido e bem padrão, em especial quando falamos de Shounen. Podemos dizer que é aquilo que “faltava” nos animês de começo de semana, mas ainda assim é aquela questão: BC é muito ame ou odeie, logo se você não curtir esse primeiro episódio não se force a ver os demais, porque dificilmente você irá curtir; do contrário – se você curtir o primeiro – vá na fé e acredite nos seus sonhos.
Segundo foi informado por vários sites, Black Clover tem previsão de 13 episódios e, se seguir por esse caminho, teremos um dos melhores animês dessa temporada. É questão de esperarmos para ver o quanto o estúdio irá nos surpreender.
PS: o animê está disponível, de forma legalizada, pelo Crunchyroll. Se possível, apoie o trabalho da galera e assista pelo streaming oficial.
Postar um comentário

Follow by Email