sábado, 14 de outubro de 2017

Primeiras Impressões – Inuyashiki



Aquele animê que nos faz pensar um pouco mais sobre a sociedade e como tratamos o próximo. Tudo isso enquanto tem umas pirações bem interessantes!
E depois de uns dias sumidos, enfim volto com as “primeiras impressões”. Antes de continuar apenas explicando que sumi devido a ocorridos pessoais e uma correria imensa, o que ocasionou uma série de atrasos – que serão corrigidos. Peço desculpas pelos transtornos e demoras, mas há males que vem para o bem e logo vocês saberão mais sobre os planos malucos que estou desenvolvendo.
Mas vamos falar de coisa boa, vamos falar sobre o animê que irei comentar hoje. Porque, sinceramente, não acreditava que conseguiria focar e falar sobre ele, contudo a vida é bela e sempre temos chances para as coisas funfarem direitinho, por isso vamos abrir os trabalhos de hoje falando sobre Inuyashiki. Se acomodem e venham comigo comentar sobre esse animê que é show de bola.

Sinopse:

Inuyashiki Ichirou está sem sorte. Apesar de ter apenas 58 anos de idade, sua aparência idosa muitas vezes o faz parecer um velho patético, e acaba sendo constantemente ignorado e desrespeitado por sua família, apesar de tudo o que ele fez para apoiá-los. Além de tudo, seu médico revelou que ele tem câncer e parece ter pouco tempo restante neste mundo. Mas, quando parece que as coisas não poderiam piorar, um raio de luz brilhante no céu noturno atinge a terra onde Ichirou estava. Ele acorda e está ileso, mas logo começa a notar que há algo diferente...

Considerações Gerais:

Honestamente, esse é o animê que eu estava mais curioso para ver o resultado final por dois motivos: 1º queria ver o nível de loucura que teria; 2º, e mais importante, queria ver como abordariam a questão dos idosos dentro da sociedade. Depois desse primeiro episódio posso afirmar que, ambas respostas foram positivas e muito bem-vindas! Admito que esperava menos do que foi entregue, bem menos e esse foi meu erro. Um erro rude, mas aprendi e é válido deixar registrado.
A narrativa da história é bem focada no senhor Inuyashiki nesse primeiro episódio. Aqui vemos como ele é tratado dentro de uma sociedade que não liga para os mais velhos e, basicamente, isso evoca uma crítica – mesmo que não tão pesada – a uma sociedade que não trata bem seus idosos ou até mesmo os familiares que esquecem dos velhinhos, só porque eles já estão em idade avançada. É algo que o episódio sabe como demonstrar e retratar, pois, até os acontecimentos que mudam a vida do nosso protagonista, ele só passa por perrengues e é esquecido pela própria família. Fica válida a lição, assim como fica palpável o carinho que ganhamos pelo senhor Inuyashiki ao longo dos 20 minutos.
Além do roteiro, dá para dizer que toda parte técnica é bem encaixada. Temos uma trilha sonora que é excelente e combina bem, uma dublagem que consegue nos passar emoção e uma animação bem-feita, pelo estúdio Mappa. Porém, preciso dizer que tem momentos que fica um pouco bugado o CGi, nada grotesco (Berserk, abraços), mas ainda assim meio destoante do resto. Contudo, sei que podemos esperar melhoras nos próximos episódios.
Fora esses pontos dá para dizer que temos um trabalho que, de modo geral, é bem executado e orquestrado. Tudo gira de modo bem redondo e divertido, garantindo um começo que instiga a ver como o protagonista irá seguir agora que notou as mudanças que ocorreram.

Vale a pena?

Sinceramente? Sim, vale muito a pena, em especial se você curtir obras que tem uma pegada mais ficção, com certa crítica. Inuyashiki é uma obra que tem um começo gostoso e que dá aquela sensação de “há potencial”, porém é preciso ver até onde seguirão tendo esmero na produção. Sem contar a parte gráfica do negócio.

Admito que, sim, o Mappa começou bem, mas é preciso manter isso para que essa obra vire de “bom” para “marcante”. A fórmula, nesse primeiro momento, existe... agora fica a questão de se irão abraçar isso até o final. De coração, eu espero que sim.
Postar um comentário

Follow by Email