domingo, 14 de janeiro de 2018

Primeiras Impressões – Citrus

Acho que, enfim, achamos a surpresa da temporada. Romance Yuri com um clima bem interessante de se acompanhar.

Seguindo estamos e, finalmente, pegamos o embalo dos textos! Agora é comemorar, pois a tendência é seguirmos aí falando mais e mais sobre esses animês da temporada. Admito que, para mim, está sendo uma surpresa bem positiva ter as expectativas correspondidas.
Enfim, hoje vamos falar sobre o animê Yuri dessa temporada. Vamos comentar hoje sobre Citrus, uma obra que é bem interessante e conseguiu me surpreender, de modo positivo. Então, vamos lá!

Sinopse:

Quando a mãe de Yuzu, uma gyaru colegial que nunca se apaixonou, resolve se casar novamente, ela é transferida para um colégio feminino. Yuzu fica mais que chateada de não poder encontrar um namorado lá. Até que, no primeiro dia de aula, ela conhece Mei, a belíssima morena que comanda o conselho de classe, nas piores circunstâncias possíveis. E para piorar, ela descobre também que Mei é sua meia-irmã, e que ambas viverão sob o mesmo teto! E assim começa o caso de amor entre duas colegiais, que apesar de suas personalidades totalmente opostas, não conseguem resistir à atração que sentem uma pela outra.

Considerações gerais:

Sinceramente, sou alguém que sempre preza por vários fatores quando vou analisar uma obra, porém aqui tudo foi – de certa forma – uma surpresa. Primeiro porque eu esperava algo apenas interessante e, como ainda não havia lido o mangá que originou o animê, não dava para criar uma opinião de expectativa. Logo, eu apenas torcia para vir algo que fosse divertido e, com maestria, esse requisito é cumprido.
Vamos começar pela animação e trilha sonora que se combinam de uma forma legal. Um faz o complemento do outro, tornando toda experiência bem vivida e, por sorte, isso acaba por apagar qualquer ideia de um conteúdo medíocre (medíocre = mediano. Abraços) e feito nas coxas. O estúdio Passione fez um trabalho competente e bem executado, o que me leva apenas a esperar que a qualidade se mantenha, pois, assim teremos um animê bem na média de qualidade.
Já na parte de roteiro e estrutura dos personagens, podemos dizer que é um fator que faz a série se sobressair, porque temos muitos momentos divertidos e bem elaborados, em especial com relação as protagonistas da história que são o oposto completo uma da outra.
Além disso também temos uma história que tem um potencial grande para desenvolvimento, como um todo, agora é saber até onde eles conseguirão evoluir isso em doze episódios, porém julgando por esse começo – em especial no final – podemos dizer que já foi um começo acertado e com uma boa possibilidade futura.

Afinal, vale a pena?

Essa é uma daquelas obras que, sim, valem a pena por sua ideia bem trabalhada e apresentada de uma forma bacana. Claro que há alguns momentos que podem soar estranho – tipo o pai da Mei viajar sempre e mesmo assim a mãe da Yuzu ter tido tempo de casar com ele, mas enfim... abstração -, contudo ainda assim temos uma obra que tem seu brilho.

Sem contar que esse é um anime onde tudo é tão bem arquitetado que dá gosto de acompanhar os 20 minutos do episódio. Não é aquele primor, mas é bem-feito e executado, se tornando, assim, algo que vale o tempo investido/gasto e ainda consegue te deixar curioso para ver até onde a obra vai.
Postar um comentário

Follow by Email