sexta-feira, 18 de maio de 2018

Estante do Dollars - Avengers 09 #01

Aquele mangá que nos prova que Seishi Kishimoto consegue ser mais que seu irmão gêmeo

Uma coisa que preciso aderir ao meu código pessoal, desde já, é que obras desconhecidas podem ser boas e, além disso, podem render bons momentos cumprindo a contento suas propostas estabelecidas. Isso é uma coisa que eu já havia aprendido com várias obras anteriores, mas comecei a me conscientizar mais disso com Samurai 7 - que foi nosso estante passado - e, agora, com Avengers 09 (ou Sukedachi Nine) isso se consolida de vez como uma quebra de expectativa - mais precisamente, isso faz com que eu passe a focar mais nos títulos desconhecidos.
Mas enfim, sem mais delongas, vamos ao mangá que está em nossa estante hoje. Vamos falar de Avengers 09 e explorar um pouco mais o porquê Seishi Kishimoto merece, sim, nossa atenção. E não, não é por ser irmão gêmeo do Masashi Kishimoto. Se acomodem e vamos nessa!

Sinopse Oficial (Ou a divulgada pela editora):

“Vingaremos os sentimentos das vítimas e seus familiares”. A medida tomada pelo governo contra o aumento contínuo de crimes hediondos foi a retomada da “Lei da Vingança”, existente até o começo da Era Meiji. Perante a lei, são os membros do Esquadrão de Execução Especializado da Polícia Judiciária Especial, os Avengers, que representarão a família das vítimas na vingança contra os assassinos! Também tendo sofrido com a criminalidade e simpatizando com a família das vítimas, os Avengers reagem!

Considerações gerais:
Resultado de imagem para sukedachi nine
Primeiramente, vamos ao básico: o mangá é escrito e ilustrado por Seishi Kishimoto e foi serializado na Shonen Gangan, da Square Enix (lar de Soul Eater Fullmetal Alchemist), de outubro de 2014 a julho de 2016 rendendo, ao todo, 5 volumes encadernados. Vale mencionar, como informação inicial que além do Japão e do Brasil a obra, pelo que apurei, saiu em outros lugares, como França por exemplo.
Bem, mas todos estão aqui para saberem o que achei dessa obra, afinal de contas, comecei o texto dizendo que achei um bom mangá; pois bem... sim, temos um bom mangá e um roteiro que sabe dizer o que quer e como quer. Ele é direto e vai do ponto A ao ponto B sem firulas demais, até porque não há essa necessidade. 
O autor consegue te prender na narrativa sem necessidade de excessos - nesse primeiro volume, ao menos, não houve nenhuma cena que apelasse no sentido de violência (que, para mim, é o único ponto onde eles podem cogitar apelar, pois não há brechas para situações ecchi) -, sem contar que ainda consegue criar um plot que realmente é plausível e funciona dentro da realidade apresentada; pois temos uma lei que reforça o conceito "olho por olho" que vemos na sociedade. 
Porém o que mais me chamou atenção aqui é a arte, pois o Seishi tem uma arte que consegue fazer as páginas fluírem bem e dão uma sensação palpável de movimentação. Além disso também há uma boa utilização de sequências que te motivem a olhar a página seguinte, o que, ao meu ver, ajuda ainda mais o leitor querer mais do que está sendo apresentado. 
Resultado de imagem para sukedachi nine
Mas a maior arma desse conjunto é saber como unir arte e roteiro de uma forma que você se pega pensando que aquilo realmente funcionaria em outra mídia. Sem contar que temos personagens que nos instigam a sabermos mais sobre eles; porque todos possuem segredos e, pelo que aparenta, esse segredo também é a fonte de suas habilidades (ou não).
Todavia, podemos dizer que temos aqui uma rara obra onde tudo ser na média ajuda a somar e agregar ao produto final do que atrapalhar, pois a construção e escalada do roteiro é bem pensada e abre um gancho imenso para que o leitor anseie pelo que virá nas próximas edições.
Por falar em edição, aqui no Brasil a obra saiu pela Panini Comics, pelo selo Planet Mangá, na qualidade padrão dela (ou seja, em pisa brite no formato 19,8 x 13,6 cm) pela bagatela de R$16,90. Vou deixar você respirar fundo, porém sim esse é o preço de capa do mangá com papel pisa brite, aqui admito que considerei um valor caro para um mangá com uma qualidade semelhante a de muitos outros títulos da editora. Confesso que sei como está a situação atual e que os valores sobem toda hora, todavia acredito que teria sido mais interessante se tivessem subido o preço mais um pouco e entregado um produto nos moldes de Innocent e I Am A Hero, uma vez que Avengers 09 não tem lá cara de material all publics.
Vale mencionar que na nossa edição, temos páginas coloridas (uma mais precisamente), sem contar que vem um marca páginas junto da edição #1.

Afinal, porque esse mangá está na estante?
Resultado de imagem para sukedachi nine
Sinceramente, essa é uma obra que eu recomendo apenas para quem procura algo fora da caixinha básica. É uma obra que vale a pena para aqueles que já curtem mangás com plot interessante e mais fora da curva, pois é uma obra que pode não ser do agrado do público geral.
Essa é uma obra que vale os minutos que você gastará lendo e, da mesma maneira, renderá bons momentos de certa reflexão, pois acabamos pensando como seria se tivéssemos uma pena assim na vida real. Mas, de modo geral, é uma obra que recomendo porque tira a ideia pré-formado que o Seishi Kishimoto é apenas o irmão gêmeo do Masashi... essa obra nos dá uma ideia de como ambos são diferentes ao seu modo. E isso é o que importa, nesse momento.

Ficha técnica:

Avengers 09 #1 (Panini Comics)
Autor: Seishi Kishimoto
Formato: 19,8 x 13,6 cm
Nº de págs: 242 páginas
Preço: R$ 16,90
Onde comprar: Amazon
Postar um comentário

Follow by Email