terça-feira, 9 de outubro de 2018

Primeiras Impressões - Radiant


Animê baseado em manfra consegue surpreender, mesmo com clichês batido

Creio que todos já conheçam o termo, porém manfra são mangás de origem francesa e aqui no Brasil já tivemos algumas obras dessa localidade, porém em nenhum momento havíamos visto algo expressivo de lá como vimos da Coréia e da China. Contudo isso parece mudar aos poucos, e uma das provas disso é a obra que irei comentar hoje.
O animê da vez é baseado em um mangá francês e desde seu anúncio chamou atenção de todos por tratar de uma obra que parece recheada de clichês e me chamou atenção de certa forma. Então, não vamos nos demorar e partiremos para comentar um pouco mais sobre o animê de Radiant.
Peguem suas vassouras mágicas e vamos comentar sobre o mundo de magia que nos aguarda.

Sinopse:

O protagonista principal de Radiant é o personagem Seth, um garoto que partiu numa jornada com um grupo de bruxas em busca da Radiant, um objeto mítico capaz de trazer monstros para o mundo real. Enquanto segue em sua jornada, Seth e seu grupo também são perseguidos de perto pela Inquisição.

Considerações Gerais:


Dá para começar esse texto comentando que o animê é bem básico em todos os aspectos e ainda assim consegue ter uma narrativa extremamente funcional. Aqui tudo consegue seguir de forma bem receita de bolo e não compromete a diversão que a narrativa tende a proporcionar ao seu espectador.
O roteiro é bem básico e segue em uma condução que é eficiente e bem feita, porém carrega consigo o problema de não empolgar em primeiro momento. Tudo é feito de uma forma que carrega o padrão de forma clara demais e demora até engrenar ou realmente criar uma empatia com os personagens e o universo.


Maior prova disso é que os próprios personagens não se sustentam em carisma e se tornam apenas resquícios de personagens genéricos e, de certa forma, não geram aquela empatia. É aquele tipico roteiro que poderia ser melhor explorado e trabalhado, contudo peca demais neste ponto. 
Quanto a parte de arte, podemos dizer que é bem competente e consegue nos entregar cores vividas e que dão um real aspecto de que foi dada real importância para o animação, como se tivessem real conhecimento da possibilidade de sucesso da obra. Porém, é uma animação que apresenta boa qualidade apenas, nada que salte aos olhos, ou empolgue demais quem assiste e isso merece ser ressaltado aqui.
O conjunto da obra, neste caso, fica algo que funciona bem, porém não é algo que seja um primor imenso, porém a parte sonora é bem eficiente e não há grandes ressalvas quanto a isto. 

Afinal, porque vale a pena?


Adianto que essa é uma obra que só vale para quem realmente deseja um animê para passar o tempo, pois esse animê é tipicamente para entretenimento sem nenhuma aspiração em ser mais do que o animê para assistir no tédio de domingo e só.
Não que seja uma animação horrorosa, longe disso, todavia ela pouco trabalha em um conteúdo interessante no primeiro momento e não gera uma real empolgação para seguir acompanhando, o que acaba tornando algo descompromissado demais até para alavancar possível popularidade.
No fim é uma obra que está ali por estar e merece ser vista só pela curiosidade. Qualquer outro intuito deve ser descartado e ignorado. 
Postar um comentário

Follow by Email