quarta-feira, 3 de julho de 2019

Estante do Dollars - Fire Punch #1

Um distopia sem ambição
Uma das coisas que, diariamente, luto contra é o hype que as obras de cultura pop podem causar. Independente do estilo de obra, sempre que há elogios demais evito embarcar no trem da expectativa para que esta não venha ser frustrada, mas existem momentos que deixamos fluir para ver no que dá e, a obra que comentarei hoje é um exemplo disso. 
Hoje, depois de um longo inverno, retomo o "Estante do Dollars" com um mangá que aquecerá esse recinto e, de quebra, trará um distopia junto. O mangá de hoje é Fire Punch que a Editora JBC recém lançou digitalmente e chega neste mês às lojas. Então se acomodem e vamos comentar sobre essa obra.

Sinopse:


Fire Punch conta a história de um mundo devastado pela neve e a solidão. Todo mal trazido para esse mundo apocalíptico veio da temida “Bruxa do Gelo”, uma pessoa ‘abençoada’ com um grande poder. Neste mundo distópico, o jovem Agni e sua irmã Luna fazem parte dessa parcela da população que são abençoados com poderes, e no caso deles, ambos possuem o poder da regeneração.


Comentários Gerais:



Em linhas gerais, vou resumir o que senti após a leitura deste primeiro volume em uma palavra: aquém. Sim meus amigos, esse volume inicial é bem abaixo do que eu poderia esperar de um enredo que trabalha com distopia e de uma obra que foi bem comentada interwebs afora, sendo algo que você se pega lendo mais por já estar ali do que por real curiosidade com a narrativa.
Você consegue entender o dilema daquele universo, consegue comprar a história do Agni, mas você não consegue o essencial, que é realmente se envolver com a distopia daquele mundo. Tudo soa tão mecânico e dentro da caixinha que, ao longo das 208 páginas, você não consegue se empolgar com o que é apresentado na história, ou se apegar aos personagens de fato; nem ao protagonista você se apega - até por suas motivações, neste primeiro momento, serem sem sal. 
Claro que, como de costume, a obra têm momentos que conseguem arrancar um "uau" da boca do leitor, ou fazer você realmente vibrar, mas não são regra da narrativa e sim exceções. Porém uma regra deste enredo, que é bem utilizada, é a forma como se demonstra que a sociedade daquela realidade está na merda e como nem todos os "abençoados" (que são as pessoas que possuem dons especiais) são pessoas bondosas sendo, em muitos casos, bem arrogantes e carrascas, de certa forma. A sociedade apresentada no mangá é um reflexo de desigualdade gritante e que, em um panorama geral, só surgiu desta forma acentuada devido a nevasca que assola o mundo, então fica mais fácil para compreensão do drama apresentado e, nesse ponto, o autor consegue ser assertivo de uma forma digna de elogios.



Voltando a um ponto apresentado no parágrafo anterior no ponto que menciono a questão da obra arrancar um "uau" do leitor, quando fiz essa menção foi porque o autor - mesmo com todos os pontos a melhorar - consegue criar uma narrativa que, constantemente, quebra as expectativas do leitor. É algo que, honestamente, eu não vejo todo momento e consegue se reverter em algo deveras positivo que agrega ao valor final da história que está sendo contada.
Outro ponto que merece destaque é, sem duvidas alguma, a arte da obra. O Tatsuki Fujimoto (autor da obra, que atualmente publica Chainsaw Man na Shonen Jump Semanal), possuí uma arte que consegue encantar o leitor, em especial por ser bem limpa e que consegue ser fácil de compreender; admito que me peguei admirando os desenhos em diversos momentos.
Além disso, vale a citação que ele consegue aproveitar bem as páginas que possui a disposição para contar a história, e isso é algo impressionante, em especial quando lembramos que Fire Punch é a primeira obra dele.

Conforme comentado no começo deste estante, a obra é lançada pela Editora JBC em formato digital e físico, sendo que o primeiro volume saiu em versão digital primeiro e, foi essa edição que eu adquiri. Sobre essa edição dá para dizer que, de forma geral, ela segue o padrão digital que a JBC apresenta; logo dá para dizer que é fácil de ler e não tem problema de arquivo condensado demais. 
Com relação a edição física, ela deve sair no Animê Friends de São Paulo, no formato padrão da editora e pelo preço de R$ 25,90. Contudo, a edição física eu passarei (por já ter a edição digital, priorizarei outras obras da editora).

Considerações Finais:



Conforme disse no começo deste texto, a obra é aquém do que eu, como leitor, esperava. Não que seja algo ruim, porém acredito que o Fujimoto-sensei teria conseguido um resultado melhor se tivesse se arriscado mais e não jogado tão no seguro, em especial porque a Jump+ (que era onde a série saia) permitia esses riscos maiores.
Fica meio nítido, inclusive, que este volume inicial poderia ter sido mais se o autor conseguisse arriscar mais ou, pelo menos, tivesse investido apenas na parte distópica do negócio, porque assim ele conseguiria trabalhar ainda mais o aspecto humano do enredo. 
No fim, posso dizer que, sim, seguirei acompanhando a obra digitalmente até seu término por aqui, porém deixarei a edição física de lado. Não é uma obra para mim, porém é um bom entretenimento para quem deseja algo dentro da linha seinen com uma narrativa diferente.

Ficha Técnica:
Fire Punch #1 (Editora JBC)
Autor: Tatsuki Fujimoto
Nº de Páginas: 208
Formato: 13,2 x 20 cm (Edição física)/ MOBI & Epub (Digital)
Preço: R$ 25,90 (Edição Física)/ R$ 12,90 (Edição Digital)
Onde Comprar: Amazon (Edição Digital)/ *Edição física ainda não abriu pré-venda*


*Comprando através do nosso link você ajuda o site a seguir adiante (em especial na parte que remete a produção de conteúdo).

Nenhum comentário:

Follow by Email