Editorial - Sobre mudanças

Afinal, é de mudanças que a vida é feita

Depois de um longo inverno eis que retorno aos editorais da vida. Foi um longo tempo, mas cá estamos tocando o barco e falando a plenos pulmões "estamos aqui, quer você goste ou não. Somos sobreviventes", ou algo próximo a isso.
Admito que foi um tempo de sumiço não tão longo quanto das vezes anteriores, contudo foi um tempo para começar a ver várias coisas sob nova ótica. Foi um tempo para recomeçar e tirar um tempo para conhecer outras coisas - ou, pelo menos, tentar entender melhor várias coisas que não entendia até outrora; em resumo, foi um período para que tudo pudesse ficar de uma forma mais dentro dos eixos e o aprendizado fosse mais útil (se você segue a gente nas redes sociais já imaginava que eu iria fazer um texto sobre o que ocorreu, se não segue, tá perdendo tempo, clica aqui e vem seguir).

Uma das coisas que mais fiz nesse período sabático foi procurar melhorar minha forma de analisar as coisas, tanto que, atualmente, escrevo análises da Jump SQ para o Analyse It (que foi uma realização pessoal para mim) e ando trabalhando em algumas pautas para textos futuros e Comentando no QG do Dollars. Além disso, também tirei um tempo para conhecer novas obras e aprender algumas coisas a mais como, por exemplo, jogar  o TCG de Yu-Gi-Oh! de uma forma mais honesta - afinal, sempre quis começar, mas nunca tinha encontrado um momento para isso.
Posso adiantar que nesse período, muitas das obras que peguei para ler conseguiram, de alguma forma, me chamar atenção e ver que, apesar de tudo, ainda temos um cenário que vai além daquela velha fórmula básica ou daquela ideia apocalíptica de que não teremos mais nada de qualidade; sem contar que me sinto satisfeito com os resultados obtidos nessas empreitadas (inclusive até pretendo ressuscitar às análises semanais e as primeiras impressões em um futuro não tão distante).

Outro âmbito que passei a valorizar ainda mais nesse tempo sumido foi, sem sombra de dúvidas, obras no formato digital. Sério, se você é um desses que ainda tem resistência ao formato, dê uma chance porque é algo que agrega bastante. Honestamente, se não fosse pelo digital eu não teria lido uma série de coisa que li nos últimos tempos - vale frisar que escrevi um artigo sobre isso lá no Covil do Raposo e super indico vocês irem conferir. 
Claro que, além de tudo isso, ainda tirei um tempo para ouvir estilos mais variados de música e gente, cada coisa interessante que dá para se encontrar com um pouco de boa vontade e curiosidade no Spotify (e não, não estou falando de coisas como Inês Brasil. Há Braços para você que me conhece e pensou em coisas assim). Existem bandas boas por demais que ficam relegadas a segundo escalão por uma infinidade de outras e até bandas antigas que merecem nossa atenção (menção honrosa ao novo álbum do Slipknot que me fez soltar um sonoro "Caralho" enquanto ouvia).

Vale mencionar que, como não poderia deixar de ser, também gastei esses últimos tempos para pensar a melhor maneira de mudar as coisas, agitar a casinha de forma geral e, se você já acessou o site antes deste texto sair viu que houve algumas mudanças e que, a medida que for passando os dias pós essa postagem também estaremos trabalhando em mudanças, de forma geral. Então, dá para dizer que as coisas não param de nenhum modo e que, depois de um longo inverno, estamos nos aproximando da próxima estação. E, honestamente, ela tem tudo para ser promissora. 

Comentários